Pincelada – parte 4

Le Grand Finale! ahahahaahhaahahahahah

Foi um longo assunto, né galera? Falei sobre os principais pincéis que uso e os relacionei aos produtos. Agora, que tal montar um kit básico e falar um pouco sobre limpeza e manutenção? Não adianta ter um kit bem bacana que não vai durar nadica de nada!

Vamos deixar de “lenga-lenga” e começar logo esse babado!

4.1 – Pretinho básico! Pretinho não, KIT!

Não adianta nada você comprar todos os tipos de pincéis para sombra que você tem vontade e ter aquele pincel “xupinsca” (isso significa ruim na Mel-lândia) de base? Vai sair com o olho esfumado mais lindo do mundo e com a pele manchada e marcada da base, mulher? Não, né? Eu defendo a montagem de um kit básico pra tudo e, a partir dele, pode-se ir incrementando até chegar num kit bem profissional!

Bora lá… Lembrem-se que isso é apenas uma sugestão e vocês tem todo o poder e o direito de interferir na montagem do próprio conjunto! E agora, 1,2,3… Do jeitinho que eu gosto:

1. Um bom pincel para base. Macio, de cerdas sintéticas ou de cerdas mistas (duo-fiber) e de base redonda e bem gordinho.
2. Um pincel grande, gordo e fofo para pó. Dê preferencia aos de pelo longo e cerdas naturais para que o pó não pese no rosto.
3. Um pincel fofinho, de base redonda como o de pó, mas de cerdas mais curtas, naturais e corte chanfrado para uma aplicação controlada do blush.
4. Dois pincéis para aplicar sombra, sendo um menor e sintético e um maior e de cerdas naturais (eles iram servir para sombras mais cremosas, em pó compacto ou solto)
5. Um bom pincel para esfumar sombra, de cerdas naturais, de base e corte redondinhos para fazer aquele olhão que a gente tanto ama!

Da esquerda para direita: base, pó, blush, ‘aplicadores’ de sombra e ‘esfumador’!
Foto: Amélia Moura

Com isso aí, já rola uma maquiagem bem elaborada! Para um básico ligeiramente mais elaborado, eu acrescentaria:

6. Um pincel para delineador chanfrado de cerdas sintéticas bem firmes (serve tanto para o delineador quanto para uma sombra mais marcada ou até para aplicar a sombra na pálpebra inferior).
7. Pincel pequeno e achatado de base para aplicar o corretivo (na maioria das vezes, aplico com os dedos mesmo, mas rola usar o pincel para uma aplicação mais caprichada).

Bônus! Pincel para delineador e corretivo!
Foto: Amélia Moura

E é isso… Não adianta exagerar! O negócio é investir em bons pincéis e ir incrementando a coleção aos poucos. Os locais e sites onde compro os meus estão lá no post 1, dá uma olhada lá! 😉

Agora o assunto é limpeza e cuidados!

Acho legal manter os pincéis em local fresco e seco. Não os exponha à luz e ao calor do sol. Se não faz bem à pele e aos produtos de maquiagem, também não vão fazer bem aos queridinhos! Algumas pessoas recomendam guardá-los deitados, mas sempre me dá uma impressão que eles ficam meio achatados de um lado e que não ficam bem arejados, sabe? Então, recomendo um copinho ou caneca para deixá-los “em pé” e acessíveis.

Pincel é “cabelo”! Precisa ser lavado e bem tratado. Se você só usa em você, o intervalo entre uma lavada e outra pode ser mais longo. Esse é o meu caso e eu procedo da seguinte forma (ai, que formal!):

– Lavo os pincéis 1 vez por mês com shampoo de bebê (uso aquele famosão do ‘chega de lágrimas’). Coloco uma gotinha na mão e passo o pincel molhado num movimento de vai-e-vem, sem ‘descabelar’ o pobre!

– Para secar, deixo eles deitadinhos numa toalha em lugar ventilado!

– Depois de cada ‘usada’ eu uso um líquido higienizador de pincéis (da Contém 1g, mas a M.A.C tem um também, só acho meio caro…) para que, numa próxima maquiagem, eu não misture a cor usada anteriormente com a atual. Funciona da seguinte forma: você borrifa o líquido numa toalhinha ou papel toalha e passa o pincel (no vai-e-vem) de novo até ele ficar limpo e seco. Não precisa borrifar o líquido no pincel, senão ele não seca imediatamente.

Higienizador de pincéis (Contém 1g)
Foto: Amélia Moura

Pronto! Cuidando, o investimento vai valer e as maquiagens vão ficar ‘muy’ lindas!
Ainda rola alguma dúvida sobre pincéis aí? 😉

Beijos, beijos…

Anúncios

Pincelada – parte 3

Já fez a pele, já pintou os olhos… Tá gata? Tá capa da Vogue?

Não??? Já sei, tá faltando um quê, um babado, um borogodó…
Pois é! E o “tempero” que está faltando vai ser o motivo ideal para o terceiro post da nossa saga sobre pincéis! Chegou a hora da parte 3!

3.1 – Que tal uma cor?

Blush! Adoro! Tenho de me controlar muito para não pesar a mão, confesso. As várias opções de textura me conquistam, mas também guiam a escolha dos pincéis. Isso acontece pelos mesmos motivos que já falamos nas partes 1 e 2. Produtos líquidos e cremosos vão super bem com cerdas sintéticas, já cerdas naturais esfumam lindamente os produtos em pó.  Que acontece então com os blushes?
Seguinte: tenho produtos cremosos, cremosos para pó (aqueles que quando aplicados ganham uma aparência de pó, perdem o brilho ‘molhado’), em mousse e em pó compacto (mineral ou não). Para os cremosos e cremosos para pó, uso os dedos ou o tal “duo fiber” gordinho ou fininho dependendo do efeito desejado, que me ajuda a espalhar melhor e não exagerar. Quando uso os dedos, aplico com leves batidinhas (às vezes, faço isso até com batons rosadinhos.)

Com os produtos em pó, gosto de usar pincéis para pó redondinhos que não sejam muito grandes para uma cor mais leve e esfumada, a velha “cara de saúde”; ou pincéis fofinhos, gordinhos e com corte chanfrado porque eles parecem “encaixar” melhor nas maçãs do rosto e permitem vários tipos de aplicação.

De baixo para cima: M.A.C, Klass Vough, Macrilan (<3) e O Boticário.

3.2 – Conversa profunda!

Gente, o que dita a beleza do rosto são as reentrâncias e saliências. Sabe aquela ondinha de fazer bico e puxar a bochecha pra dentro, imitando modelo? É isso! Como não dá pra sair por aí fazendo bico, a gente simula a profundidade no rosto passando um bronzer nessa área! Se tem o queixo mais avantajado, ou a testa, você também pode usar o bronzer ou um pó um pouco mais escuro que a pele e passar na ponta do queijo ou na testa, rente à raiz do cabelo. Para isso, um pincel de blush pequeno ou achatadinho vai ser ótimo para aplicar com precisão e ainda assim, esfumar bem, já que a linha marcada não vai nada bem!

pincéis para bronzer

De baixo para cima: O Boticário e Klass Vough.
Foto: Amélia Moura

3.3 – Que luz!

“Iluminador também tem pincel, Mel?” Menina… Aí é coisa minha! Nunca vi nenhum ‘pincel para iluminador’ na embalagem, mas quando o produto é em pó, não gosto de usar o de blush ou o de pó por serem muito grandes! Gosto de uma aplicação mais controlada e depois de muito procurar, passei a usar um pincel grande para esfumar sombra. Foi um dos meus melhores achados. Quando o produto é cremoso ou líquido, prefiro usar os dedos ou uma esponjinha consistente (aquelas bem densas branquinha), que dá um efeito bem suave.

pincel para iluminador

Pincel para esfumar sombra PER-FEI-TO para iluminador da Coastal Scents.
Foto: Amélia Moura

3.4 – Pra que danado é isso?

Pincel ‘vassourinha’! Sabe aquele olhão pretão que a gente ama? Sabe, né? Então sabe então a bagunça que o pozinho da sombra escura faz na pálpebra inferior, bochechas etc. A vassourinha é ótima pra limpar tudo antes de continuar com a produção! Também adoro pra tirar o excesso de pó, principalmente aquele branquinho finalizador, que falamos aqui.

Varre, varre, varre, vassourinha… Da Prada! 😉
Foto: Amélia Moura

Bem… Eu acho que falei de todos os pincéis que uso. Ainda temos alguma dúvida? Se tiver, falem por aqui, no facebook ou por nosso e-mail, que ainda vem o post 4 que vai tratar dos cuidados com os pincéis-filhotes, um kit básico pra iniciar e links interessantes! 😉

Beijos, beijos!

Pincelada – parte 2

E aí, môzamô? Tudo bem?

Tão calmas? Hoje, continua a saga dos pincéis! E o assunto hoje é comprido: olhos!

Pensando aqui, ao lado dos meus pincéis enfileirados, acabei de perceber como a maquiagem dos olhos é importante e vai definir todo o resto. Claro que cada parte tem a sua importância, mas sabe como é… Uma pele bem feita “desaparece”. Olhos bem maquiados hipnotizam e a gente diz: “Quero essa sombra!”. E o pincel, hein gata? Dependendo do pincel, uma mesma sombra pode ter vários efeitos diferentes. Então vamos deixar de “mimimi” e borá falar deles: a parte 2 do babado!

Para lembrar a diferença entre cerdas naturais e sintéticas, vejam a parte 1, ok? Vale igual!

2.1 – Por que tantos formatos?

Seguinte… Basta lembrar quantos tipos de sombras existem: compactas, pigmentos soltos, minerais, cremosas, em mousse, em gel… Cansei! E a gente ainda tem os tipos de aplicações e efeitos: marcadas, esfumadas, delineadas… Sem falar que o olho, tão pequenito, é dividido em várias partes: canto interno, canto externo, pálpebra superior, pálpebra inferior, côncavo! E agora, eu cheguei onde queria! Rá!

Pra ninguém voar na minha “falação”, lá vai um esquema do olho:

Pra aprender direitinho!
Imagem: sabrinainhouse.blogspot.com.br

2.2 – Aplicar! Já!

Para ‘colocar’ a sombra na pálpebra, primeiro temos de pensar na textura da sombra: as cremosas vão muito bem com os dedos! Eles ajudam a fixar e espalham melhor, o calor do dedo ajuda a sombra cremosa a ‘assentar’ bem. Já os pós (compactos ou soltos) são bem mais fáceis de aplicar com pincel, o que não impede de usar os dedinhos, que trabalham super bem com as sombras (pigmentos) soltas. Os pincéis ideais para a aplicação são os de base chata e mais larguinhos. Quanto maior o pincel, mais suave será o efeito da sombra. Cerdas naturais para uma aplicação mais esfumada e sintéticas para mais fortes. O formato do corte das cerdas é ligeiramente arredondado, que colabora com a maciez necessária.  Casso o corte seja chanfrado, o pincel é ideal para aplicar a sombra no côncavo sem marcar, dando um efeito esfumado.

De baixo para cima: Elf (chanfradinho), M.A.C, Sephora, NYX, Marco Boni, ProArt e Marco Boni.
Foto: Amélia Moura

2.3 – Falando em côncavo…

Tudo é “côncavo pra lá, côncavo pra cá!”, mas pouca gente que eu conheço, acerta o tal lugar. O truque é: coloque o dedo levemente sobre a sua pálpebra superior e você vai achar uma depressão, um local fundo entre o osso que fica abaixo da sobrancelha e a bolotinha do olho, esse “vale” é o côncavo. Um bom jeito de vê-lo é ficar de frente ao espelho e franzir a testa, levantando as sobrancelhas. Tá lá! Você vê bem o ‘danado’! E por que marcar? O côncavo dá profundidade ao olhar. A beleza do rosto se revela nas saliências e reentrâncias. Um rosto chapado deixa uma aparência sem graça!

Acho que esses pincéis ‘lápis’ foram as minhas melhores descobertas para um olho bem maquiado. Eles tem esse formato com a base redonda e a ponta bicuda, que “entra” e percorre o côncavo de maneira perfeita, e ainda ajudam a fazer o “C” do côncavo com a linha dos cílios superiores para uma sombra estilo gatinho, puxadinha. Basta um pouco de treino. Os pincéis mais finos vão fazer traços mais marcados, linhas mais certas; enquanto os mais gordinhos fazem linhas mais suaves e ajudam a esfumá-las.

De baixo para cima: O Boticário, Klass Vough e Coastal Scents (mais finos e precisos para linhas de cõncavo mais marcadas), e M.A.C, Klass Vough e Coastal Scents (mais gordinhos para côncavos mais esfumadinhos).
Foto: Amélia Moura

2.4 – Esfumar, esfumar, esfumar… Que repetitivo!

Sabem o que deixa uma sombra cafona? A cor? Claro que não, gata!!! Pode se jogar na sombra azul (eu adoro!). A bronca é quando ficam linhas marcadas entre as cores. Nossa… É muito ruim! E sabe o que faltou? Rá! ES-FU-MAR! (Esfumaçar não existe, viu? Nem para quem fuma! Larga isso, hein?) Para esfumar bem, o pincel precisa ser macio (cerdas naturais de preferência e mais longas) e ser todo redondinho (base e corte). A maneira mais eficiente de esfumar com esses pincéis é com movimentos circulares ou acompanhando a linha da sombra de maneira bem suave.

De baixo para cima: Elf, Klass Vough e Klass Vough. Macios e redondos! Meus amores! ❤
Foto: Amélia Moura

2.5 – Piscadinha sensual e discreta!

Para uma maquiagem rápida e bem linda, uma solução é passar a sombra rente aos cílios, como um delineador, só que bem mais simples e fácil! Qual a solução? Pincel larguinho, curto e durinho! Pá! Linha precisa e não tão marcada quanto o delineador.

De baixo para cima: Elf (cerdas naaturais) e UBU (cerdas sintéticas). Achatados, largos e durinhos!
Foto: Amélia Moura

2.6 – Alguém falou em delineador?

Antes de comprar pincel, arrume paciência! Putz! Delineador é trabalho de artesão! São três tipos bem bons de pincéis para tal fim: de pelinhos longos e fininho (ideal para um tracinho fino rente aos cílios, mas fica difícil de fazer a pontinha por ser mole), chanfrado (normalmente de cerdas sintéticas pois são mais firmes e dão a precisão necessária. O chanfro é ótimo pra definir o ângulo da pontinha porque basta você encostá-lo na angulação que quiser), e por fim, o meu preferido, o micro de cerdas bem durinhas (dá uma precisão incrível e por ser pequenininho, você pode ir aumentando o traço aos pouquinhos!).

De baixo para cima: Coastal Scents, O Boticário e M.A.C.
Foto: Amélia Moura

2.7 – Luz dos olhos meus

Iluminar o canto interno! Fica gata demais e as pessoas vão ver a luz, a beleza e não vão saber de onde vem aquilo! É magya! Pois… Para tanto encantamento, um pincel pequenininho e macio vai colocar a sombra iluminadora no lugar, sem sujar tudo, sem bagunçar! Mas pode usar o mindinho também, viu? Com cuidado!

De baixo para cima: Sephora, NYX e Sephora. Pequenos para não borrar tudo!
Foto: Amélia Moura

2.8 – Pálpebra inferior ninguém lembra, né?

Gente, só lápis? Sério? Que antigo… Uma sombra bem aplicada rente aos cílios inferiores na pálpebra inferior (pra quem não tem o olhinho caído, viu?) dá um charme de lascar! Principalmente com as sombras metálicas que estão suuuuuper na moda para a próxima estação (que por sinal, chega hoje! É primaveeeeraaaaa… Te amoooooooo!!!). Ninguém quer ficar com o olho borrado, fundo, sujo, com aparência de cansaço, então borá usar pincéis de base achatada, pequenos e de cerdas curtas e durinhas, ok? Quase de precisão!

De baixo para cima: ProArt, Elf e ProArt. Fininhos e durinhos!
Foto: Amélia Moura

2.9 – Bônus!

Pincel para pentear e escovar a sobrancelha é ótimo pra carregar na bolsa e dar uma “geral” na cara antes do happy hour, ok?
“E esse “pincel” de ponta de borracha, mulher???” Menina… É pra glitter, “tu crê”? O glitter gruda nessa pontinha lindamente e você vai e transfere pro olho! Pá! Tá linda!

De baixo para cima: pincel descartável para pentear e escovar sobrancelha (Klass Vough) e “pá” de silicone para glitter (Sephora).
Foto: Amélia Moura

E aí? Será que sobrou alguma coisa? Os links para compras e locais são os mesmos da parte 1! Se alguém discorda e quer brigar falar, mete a boca no trombone! Eu quero saber se vocês tão curtindo os posts didáticos, se tá servindo pra alguma coisa! Cadê o feedback, amadas? 😉

Beijos e logo, logo tem a parte 3! :*

Pincelada – parte 1

Esse negócio de maquiagem é complicado…
Antes, as pessoas que não eram profissionais não tinham acesso a pincéis. Eles só eram vendidos em locais especializados, não tinha em toda cidade, e a gente sempre via maquiadores falando em entrevistas que “não é possível fazer uma maquiagem bem feita e durável sem o instrumento correto, sem bons pincéis”!

Putz… Lá ia a gente atrás de pincéis e como era difícil! Aí, as empresas começam a fabricar e vender, as farmácias aparecem com num-sei-quantas marcas, lojas internacionais abrem no Brasil, só que… Os maquiadores passam a dizer que instrumento bom mesmo são esponjas (umas de formatos esquisitos) e os dedos!

Ah, váááá… Parece implicância de criança, viu?

Querem saber uma opinião bem sincera? Aguentaí porque lá vai:

É importante ter pincéis, esponjas e dedos. Mas se algum deles faltar, não tem problema! 😉 Pode-se dar um jeito. Para tudo ficar mais fácil, vou explicar aqui o que eu uso, para que serve e as maluquices que eu penso, ok? Espero também que vocês me digam o que usam e fazem porque eu também quero aprender! Vou dividir o assunto em partes e vou soltar uma parte por semana porque o assunto é longo. Depois da lenga-lenga, vamos ao que interessa: a parte 1.

1.1 – Os pelinhos

Podem ser sintéticos ou naturais! Os sintéticos são mais uniformes e as cerdas são mais durinhas, enquanto os naturais tem cerdas mais  “crespas” e são mais “fofos”. 
Como escolher entre natural e sintético?

Cerdas naturais embaixo (M.A.C) e sintéticas no pincel de cima (O Boticário). Esses são pincéis de blush.

Seguinte… O natural realiza uma aplicação mais esfumada, mais leve, consequentemente, mais natural mesmo! O sintético tem uma aplicação mais “dura”, consequentemente, mais precisa. Fazer a linha do delineador fica mais fácil com o mais durinho sintético, já aplicar o blush pode ser uma tarefa mais fácil para o natural. Nada impede que você consiga bons resultados independente do tipo, eles só vão facilitar em certas situações.

Outra diferença entre as cerdas é a absorção do produto. O sintético não absorve  produtos líquidos e cremosos, sendo então bem indicados para aplicá-los. Já as cerdas naturais são ideais para aplicar produtos em pó que precisam ser esfumados, ter uma aplicação mais natural, como um “degradê”.

Com essas informações na mão, podemos passar para o segundo ponto! Aeeeeeeee…

1.2 – Primer e hidratante

Vocês não leram errado! 😉 Quando o primer é mais líquido ou quando quero aplicar um hidratante mais “molinho”, eu uso um pincel de fibra mista, o conhecido como duo fiber. Ele mistura fibras sintéticas, que não absorvem o produto; e naturais, que fazem uma distribuição suave pelo rosto. Se o produto for mais grossinho, aplico com os dedos em movimentos suaves e leves batidinhas. Os dedos ajudam a ativação do produto e a absorção pela pele. Ponto pros dedinhos!

O tal “duo fiber”. Excelente para produtos líquidos e cremosos! Ele vai aparecer outras vezes e em outros posts! 😉 O de baixo é M.A.C e o de cima é Klass Vough.

1.3 – Base

Quando comecei o post, fiquei em dúvida se mostrava como eu uso ou como indicam. Resolvi mostrar o que eu uso  e explicar o porquê de “desvirtuar” certos usos.
Começando pela base: eu uso os dedos quando quero uma cobertura mais pesada, ou seja, quase nunca e só com uma base mais líquida e transparente para não ficar com cara de reboco. Nos outros casos (na maioria), uso pincéis redondos na base e retos no corte:

Pincéis para base: natural embaixo (Klass Vough) e sintético em cima (Prada).

O acabamento não fica marcado e eles dão um efeito de “polimento” na pele, distribuindo bem o produto e deixando o aspecto bem natural mesmo quando a base é mate. Uso o sintético para as bases mais líquidas e o natural para as mais cremosas.
O “duo fiber” (a foto já coloquei, né?) também faz bem o papel de pincel para base, basta espalhar bem para as cerdas sintéticas separadinhas não marcarem o rosto com um aspecto de linhas.

Menção honrosa para as enponjinhas! Elas são, na minha opinião, um meio termo entre o pincel e os dedinhos. A cobertura é bem boa e o acabamento é natural. Uso quando me maquio para ocasiões mais “sérias” como casamentos.

Esponjinhas esquisitas ótimas para base! O bico da esquerda (Belliz) e a parte fina da direita (Sephora) servem para alcançar os cantinhos e são boas pra aplicar corretivo também.

1.4 – Corretivo

Os pincéis indicados para corretivos são bem pequenos e eu fico com receio de ficar muito marcado, portanto, eu uso pincéis chapados indicados para base! “Começou a confusão, né Mel?” Desculpa, galera… Tô tentando ajudar! Mas é isso, prefiro esse tipo até mesmo porque a aplicação fica mais rápida, simples e natural. Ainda assim, não dispenso os pequenos, que servem para detalhes, para cobrir espinhas e cantinhos (como o da abinha do nariz). As cerdas desses são sintéticas para não absorverem muito do produto. Mesmo usando pincel, eu dou umas batidinhas com os dedos depois para o produto “assentar” melhor na pele.

O tradicional pequenininho (Elf) embaixo (que tá velho e descabelado!) e o de base (Marco Boni) que eu uso para corretivo <3.

1.5 – Pó

Vocês já sabem que eu não sou muito chegada a pó, né? A maior culpa da cara de reboco das meninas que vejo por aí é causada pela mão pesada no pó e pelo uso da enponjinha do estojo! Eu NUNCA uso a esponja! Nossa… Mas não é que eu não use pó, eu só tenho medo! Muito medo! 😉
O que pode ser feito para enfrentar esse medo? Usar um pincel adequado e passar onde é necessário! Tcham!
Para aplicar o pó, o melhor é escolher um pincel bem fofo que não vá depositar muito produto e vá  espalhar bem o pó e não PESARRRRRRR!!!!!!!! Os meus tão aí embaixo. Mesmo o sintético é bem fofinho e eu os uso para passar pó bem levinho com um brilho discreto como o Meteorites.

O sintético (O Boticário) tá embaixo e o de cerdas naturais (Belliz) é o de cima. Bem grandes e fofos. Sempre com pouco produto. É melhor reaplicar do que ter de tirar, porque pra tirar, só lavando o rosto e começando de novo, né?

Outro pincel que eu uso para pó é um pincel achatadinho para base de cerdas sintéticas. “É o que, Mel? De novo com esse pincel?” É menina… Ele é ótimo pra aplicar pó na olheira pra dar o acabamento no corretivo quando esse é cremoso e para passar pó na testa, no queixo e nos cantinhos do nariz (lugares que ficam oleosos mais facilmente). Por ser sintético, ele não acumula muito produto e ajuda a não dar aquela pesada de que eu fujo!

Pincel sintético para base que uso com pó (Contém 1g)! Pouco produto, lembram?

Agora, que já fizemos a pele, podemos relaxar um pouco! Tratem de descansar a caixola porque vai rolar muita pauleira na continuação do assunto! Ainda temos pincéis para olhos, acabamentos (blushes e iluminadores) e para boca! Estão preparadas? 😉

Beijos e boas pinceladas! 😉

Ps.: os lugares que compro pincéis: loja Audrey na Liberdade em São Paulo, Contém 1g, O Boticário, M.A.C (só quando viajo), farmácias em geral e nos seguintes sites:

Sigma
Coastal Scents
Cherry Culture